O Instituto Avalon é uma organização com mais de duas décadas de atuação voltada para a divulgação, educação, aplicação e pesquisas de conceitos e técnicas promotoras da qualidade de vida, priorizando as técnicas naturais e suas premissas. Considerando a integração harmoniosa entre as diversas entidades (mente, emoção, energia vital e físico) que compõem o ser humano e o meio ambiente. Os profissionais que formam a equipe de terapeutas do Instituto são experientes, com reconhecida competência em suas especialidades.

ESTAMOS HONRADOS E FELIZES E QUEREMOS COMPARTILHAR COM NOSSOS AMIGOS ESTA CONQUISTA:

Em 2015, foi conferido ao Instituto Avalon, o PRÊMIO QUALITY EDUCAÇÃO, pela International Quality Company, com a chancela da Sociedade Brasileira de Educação e Integração.

INSTITUTO AVALON - há 25 anos formando os melhores profissionais!

CURSO DE PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA

PRACTITIONER

AULA ABERTA DIA 17/07 - DOMINGO

ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO E CONHEÇA MELHOR O CURSO E A 

TRAINER E MASTER PRACTITIONER DHELBA ALLIEGRO, 

COORDENADORA DO CURSO






ARTIGO: PREOCUPAÇÃO É PRÉ-OCUPAÇÃO

PREOCUPAÇÃO É PRÉ-OCUPAÇÃO

A preocupação tem sido uma postura cada vez mais presente em nossa sociedade.
Com as inúmeras dificuldades da vida moderna cada vez nos sentimos menos capazes de atender a todas as solicitações do dia a dia e, principalmente, não sobra tempo para sermos felizes. Alguns reagem a esta situação mergulhando em preocupações.
Na verdade, ficar preocupado atrai para nossa realidade o que seria apenas uma possibilidade, é fixar a mente em uma só direção, é se retirar da realidade atual e abandoná-la ao léu, para focar nossas energias em um futuro nem sempre provável, mas quase sempre negativo. Se preocupar é ficar cego para o momento.
A preocupação nos deixa à mercê da ansiedade que, por sua vez, neste contexto, é motivada pelo medo, o que nos coloca no pior cenário para uma vida tranquila e feliz.


A ansiedade é um transtorno que compromete significativamente nossa qualidade de vida. Quando a preocupação se configura de forma exagerada pode nos levar a uma condição de ansiedade generalizada de difícil controle e promover sintomas como fadiga, irritabilidade, dispersão, tensão muscular, alterações no apetite, distúrbios do sono, sintomas gástricos, hipertensão, dores de cabeça, diarreias, sudorese e outros sintomas. Devemos, portanto, evitar a ansiedade e agirmos o mais brevemente possível, buscando técnicas de relaxamento, yoga, atividades físicas, artes, massagem, alterar a rotina, conviver mais com amigos, estimular o lazer. Outra ajuda eficaz é o uso dos Florais de Bach.
Muitos confundem preocupação com responsabilidade, com planejamento, mas planejar não implica em sofrimento, este sim, companheiro da preocupação, e responsabilidade é o oposto de preocupação, uma vez que ser responsável é ser capaz de responder prontamente, enquanto ser preocupado é estar sempre em um estágio anterior ao estágio da ocupação, ou seja, da resposta.
Planejar evita a preocupação, sua intenção é preparar, organizar e estruturar os meios para alcançar um determinado objetivo. Assim tomamos decisões que nos levam a cumprir nossas metas com rapidez e menos esforço, com racionalidade e eficácia. É ser responsável.
Em outras palavras, planejar é uma forma de transformarmos pensamentos em ações.
A preocupação é uma forma de mergulharmos em um sem fim de pensamentos, impossibilitando qualquer tipo de ação.
Se preocupar é gastar energia sem produzir nada, a não ser ansiedade, medo, baixa autoestima, sentimento de incapacidade e estabelecer um caminho para a somatização das mais variadas doenças. Vale considerar o pensamento do grande poeta americano Robert Frost (1874-1963): "A razão pela qual a preocupação mata mais pessoas do que o trabalho é que as pessoas se preocupam mais do que trabalham".
Quando você se sentir tentado à preocupação, avalie se sabe como resolver o problema, se souber comece a resolvê-lo, se não souber procure aprender ou encontre alguém que saiba fazê-lo e inicie uma ação determinante para eliminá-lo. Se não souber como resolver, se não encontrar onde aprender uma solução e se não encontrar alguém capaz de solucioná-lo, então é provável que não seja um problema real, mas apenas uma alucinação.
Se preocupar é perder o presente, se preocupar é dificultar a convivência com a felicidade e, principalmente, se preocupar é não ter fé.
A maior força de realização que Deus nos ensinou é a Fé. Se preocupar é acreditar que tudo pode dar errado, ter Fé é saber que tudo acontece de acordo com o bem maior.

Faça a sua parte e o Universo agirá ao seu favor.

Sábias palavras de Abraham Lincoln (16º presidente dos E.U.A): Senhor, minha preocupação não é se Deus está ao nosso lado; minha maior preocupação é estar ao lado de Deus, porque Deus é sempre certo.
A Bíblia nos ensina:
Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Visto que vocês não podem sequer fazer uma coisa tão pequena, por que se preocupar com o restante?
Lucas 12:25-26

Não se preocupe, se ocupe!
Serg Rios Alves
Terapeuta e Diretor do Instituto Avalon

Qualidade de Vida com as Terapias Naturais



QUALIDADE DE VIDA COM AS TERAPIAS NATURAIS





            A humanidade, há muito tempo, tem sofrido com a manifestação das doenças e no afã de minimizar suas dores tem, ao longo das eras, experimentado as mais variadas técnicas para alcançar este objetivo.

            Nos primórdios de nossa história usávamos rituais xamânicos, práticas religiosas, espirituais e aos poucos as técnicas com maior ou menor grau de sofisticação foram se incorporando ao arsenal das ferramentas de cura, tais como a eleição de determinados alimentos, os banhos, o uso de águas minerais, a fitoterapia, as massagens, a acupuntura, entre outras, que foram evoluindo e compondo as  “escolas médicas”, de determinados povos como a Medicina Egípcia, a Grega, a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a Ayurveda, da Índia e muitas outras praticadas por diversos povos.

            Além destes “sistemas” estabelecidos, outras práticas sempre surgem se agregando ao conhecimento já em uso ou até novas concepções, por vezes radicais e revolucionárias, como a Homeopatia e a Terapia Floral.

            O importante é que todas elas cumprem seu papel de reequilibradores do homem doente, ajudando no retorno à condição saudável.

            Os países ocidentais têm seu código médico chamado de alopatia e sua prática muito tem ajudado a todos os que buscam nela a ajuda desejada. Mas de maneira nenhuma seu conjunto de práticas se constitui no único método capaz de restabelecer a saúde do ser humano.

            Vivemos um momento muito especial da história humana, tempos de integração e democratização do conhecimento, de forma que o conhecimento das práticas de cura de povos diferentes podem ser acessados mais facilmente por todos que por elas se interessam e sua eficiência testada em diferentes cenários.

            Claro que cada povo valoriza as práticas que lhes são conhecidas, mas hoje temos a possibilidade de conhecer outras que podem ser integradas aumentando o arsenal de ajuda de uma determinada escola já estabelecida como vemos, por exemplo, a acupuntura e a homeopatia que fazem parte das terapias naturais sendo assumidas pela alopatia.

            A Organização Mundial de Saúde (O. M. S.), reconhece e recomenda cerca de 100 técnicas naturais originadas e praticadas em todo planeta, são chamadas de tradicionais e  muitos países estão incluindo em sua matriz de saúde pública algumas destas técnicas, inclusive o Brasil, que o fez recentemente através da portaria 971 do Ministério da Saúde de 03 de maio de 2006 que estimula e cria meios para que os Municípios, Estados e a União possam levar as técnicas naturais para toda a população através do Sistema Único de Saúde (S. U. S.)

            Por falta de conhecimento da população e por não fazerem parte das matérias ensinadas nas faculdades de Medicina sempre houve, por parte daqueles que se utilizam exclusivamente da alopatia, muita desconfiança quanto a eficácia destas técnicas que pouco a pouco foram ganhando interesse e respeito da população que se beneficia com sua ação  e finalmente sendo reconhecidas em seu valor pelo governo federal.

            Este conjunto de técnicas que são conhecidas por vários nomes tais como: alternativas, holísticas, complementares, integrativas, entre outros, são, antes de mais nada, técnicas, nada tendo haver em seus procedimentos com nenhum tipo de  conotação religiosa, não importando a religião de quem as pratica ou de quem a elas se submete, infelizmente este tipo de confusão já fez parte do conjunto de desconfianças atribuídas as  terapias naturais por pura falta de informação.

            As terapias naturais têm vantagens evidentes para quem se utiliza delas, como o baixo custo, não serem invasivas, terem pouco ou na maioria dos casos nenhum efeito colateral, de não exigirem grandes suportes tecnológicos para serem praticadas, de principalmente desenvolverem uma relação mais humana entre o doente e o terapeuta.

            Acreditamos que quando focamos o interesse no bem-estar dos que sofrem, todas as formas de ajuda são bem vindas, sem a preocupação discriminatória de quem quer que seja, ou na defesa insensível, irascível e irracional  de seus pontos de vista que nada mais são do que pontos, quando na verdade a saúde exige soluções com uma visão ampla.

            A dimensão do conhecimento humano sobre as doenças e suas causas, os procedimentos de ajuda e de cura têm crescido espantosamente nos nossos dias, mas ainda é infinitamente menor do que a  ignorância que a humanidade ainda tem a vencer. Portanto toda ajuda é bem vinda, todo conhecimento tem valor.

            Todos temos o direito de ter acesso a toda ajuda possível, devemos exercer a nossa liberdade de sermos saudáveis.




Serg Rios Alves              

Terapeuta e Diretor do Instituto Avalon

QUER SABER MAIS SOBRE NOSSA PROGRAMAÇÃO?

www.institutoavalon.com.br

Ayurveda, a Ciência da Vida



Ayurveda, a Ciência da Vida

Dr. Marco Fabio Coghi




Como viver em harmonia conosco mesmo e com a natureza?
Essa é uma das perguntas que todos nós nos fazemos desde tempos mais remotos até os dias atuais. A resposta a essa pergunta, segundo os sábios antigos da Índia, conhecidos como Rishis, encontra-se no Ayurveda. Ayus (ou Ayur), do sânscrito, significa Vida, e Veda é Ciência ou ainda, Conhecimento. Portanto, o Ayurveda é entendido a como sendo a Ciência da Vida, o conhecimento de como viver de forma correta em harmonia consigo mesmo e com todo Cosmo.
Embora o Ayurveda seja por vezes confundido como sendo um tipo de medicina complementar/alternativa, ele é muito mais abrangente do que podemos imaginar. Leva em consideração os diferentes aspectos da vida e sua relação com as leis universais que regem o macro e o microcosmo. O Ayurveda foi concebido pelos antigos sábios hindus através de séculos de observação da natureza interna e externa do homem, e pela descoberta das leis naturais que subjuga a tudo e a todos.
Conta a lenda que o homem, há milhares de anos, era feliz, forte e saudável.
Porém, com o passar das eras e ao afastar-se dos princípios éticos que os norteavam, veio a sofrer as conseqüências dessa ação: tornou-se fraco e doente. Os sábios de então se reuniram em uma grande assembléia, aos pés dos Himalaias, para debater e encontrar uma solução para a decrepitude humana: como eliminar as doenças e o sofrimento e resgatar sua integridade. Foi quando o deus Indra passou o conhecimento do Ayurveda para o sábio Bharadwaja que disseminou aos demais sábios.
Os conceitos do Ayurveda formam reunidos inicialmente em um compêndio, conhecido com Charaka Sumhita, os Ensinamentos de Charaka. Charaka foi um grande médico que viveu em época ainda não determinada com precisão: muitos autores defendem a data de 1.000 a.C, e que reuniu todo conhecimento da medicina existente na época. Outros livros-textos importantes do Ayurveda vieram a seguir, como o Sushruta Samhita, escrito pelo cirurgião Sushruta em 800 a.C. e Asthanga Hridaya, escrito por Vagbhata em 600 a.C.
Mas o que é então o Ayurveda?
O Ayurveda parte do princípio de que o homem é composto simultaneamente por quatro veículos, de diferentes “densidades”. A vida só é possível quando os quatro veículos coexistirem simultaneamente. O ser humano é constituído por espírito, mente, emoções e corpo físico, o último sendo mais denso dos quatro. Os três corpos “inferiores” sofrem mudanças com o tempo, portanto, são qualificados como corpos materiais. O espírito (atmã) é inalterado e é considerado como sendo energia. A saúde é encontrada quando existe um perfeito alinhamento dos quatro corpos. Quando há dissociação do equilíbrio entre um ou mais corpos, surge a doença. A doença pode, por exemplo, iniciarse por uma desconexão entre o espírito e a mente e afetar toda cadeia.
Então, para combater a decrepitude humana, o Ayurveda se preocupa com a busca do equilíbrio espírito-mente-emoção-corpo físico. E tem um tipo de tratamento para cada um deles. Busca restabelecer a harmonização destes veículos.
O Ayurveda é, portanto, mais que um sistema médico como conhecemos no Ocidente: é um estilo integral e equilibrado de vida. Nesse estilo de vida, a alimentação é balanceada de acordo com a constituição pessoal. Os exercícios físicos leves, como o yoga, são praticados de forma regular. A meditação é usada para elevar a mente a estados mais próximos do espírito, buscando assim a consciência plena.
Ervas, música, astrologia védica, gemologia, massagem corporal (massoterapia Ayurvédica) entre outras tantas atividades também fazem parte desse sistema holístico milenar.
O Ayurveda por ser tão abrangente, é conhecido como a Ciência da Vida, a arte de viver em plena harmonia.

 Participe do Curso
 Introdução Ayurveda e Massagem Ayurvédica

de 21 à 23 de Abril de 2016
 

http://info.institutoavalon.com.br/curso-massagem-ayurveda-2016


http://info.institutoavalon.com.br/inscricao-massagem-ayurveda


FOTO KIRLIAN, BIOELETROGRAFIA






A foto Kirlian, hoje também conhecida como bioeletrografia, conceito que incorpora outros equipamentos além da máquina Kirlian, registra, de forma gráfica em um filme fotográfico comum, imagens do campo bioeletromagnético presente nos corpos, cuja variação de cores, intensidade e sinais específicos correspondem a alterações e processos de equilíbrio, ou não, do bem-estar do indivíduo, de acordo com a codificação estabelecida pela técnica de análise.
Desde 1777, existem relatos da tentativa do homem em registrar este campo de energia que existe em torno dos seres vivos e objetos.

Um dos pioneiros destes esforços é o padre brasileiro Landell de Moura que no Brasil, em 1904, desenvolveu uma máquina semelhante à de Kirlian. Batizou de perianto o halo luminoso em torno dos objetos em suas fotos, mas este fenômeno foi confundido com perispírito (do espiritismo) e graças ao preconceito da época, em especial da Igreja Católica, a qual era subordinado, foi impedido de continuar seus estudos e só mais tarde seu trabalho veio a ser reconhecido.

    Em 1939, o engenheiro Semyon D. Kirlian e sua esposa descobriram acidentalmente um efeito especial em suas eletrografias de alta tensão/frequência: o EFEITO KYRLIAN. Desenvolveram então um trabalho de pesquisa sobre a foto Kirlian que só foi divulgado ao mundo em 1960, devido as restrições impostas pelo quadro político da época.

 Na Rússia, em 1999, o Ministério da Saúde reconheceu oficialmente a bioeletrografia como fato científico e passou a recomendar sua utilização como recurso válido para diagnósticos.

O Instituto Avalon, desde 1990, tem utilizado a foto Kirlian na avaliação dos desequilíbrios e no acompanhamento terapêutico, com muito êxito. Nosso trabalho de pesquisa procura desmistificar os arranjos gráficos apresentados na foto kirlian ou bioeletrografia.

No V Congresso Oficial da União Internacional de Kirliangrafia Científica e Aplicada foi apresentado o trabalho de autoria da fonoaudióloga e terapeuta naturalista Célia Cruz e do engenheiro eletrônico e também terapeuta Serg Rios Alves, onde se comprovou, através de extensiva pesquisa, que existem sinais presentes na foto kirlian que denunciam tendências alérgicas assim como eventos presentes ou iminentes. 

Para os profissionais que trabalham com terapias naturais esta é uma importante ferramenta de comprovação da eficiência terapêutica e como auxiliar em suas avaliações, permitindo uma observação qualitativa e quantitativa registrável, de desequilíbrios energéticos, emocionais e físicos.
 

Participe do curso de Bioeletrografia 
neste domingo dia 13/03/2016

http://info.institutoavalon.com.br/curso-de-coaching-com-video-da-dhelba